O dia que conhecemos Dnª Anna Modugno!


Santos, 20/10/2017 : 9:40h

Olá,

Hoje acordamos, pera…..  Será que acordamos ou ainda pertencemos ao mesmo sonho?

Ontem 19/10/2017, foi um dia memorável em nossa vida, como quem somos e quanto ao que fazemos. ARTE!

Quando você espera poder estar frente a pessoa que trouxe, divulgou e disseminou o material que você iniciou sua carreira e ainda utiliza até hoje buscando meios de dia após dia trabalhar com ele de um novo jeito. Quando você imagina isso em sua vida? Ok, passa pela cabeça, mas não é como ir a Disney que é só pagar. 

Esta mulher não somente trouxe esse material para nosso “brasilzão”,  como usa ele de forma inigualável. O que dizer de uma pessoa que mesmo com a vida lhe dando inúmeras alegrias na mesma proporção de suas tristezas, e, mesmo assim ela ainda é integra, amável como poucas pessoas que conheci e a representação mais plena de humildade, dignidade e talento absoluto.

Eu já deixei nossa homenagem em um post fixo aqui no site mesmo, quando criei e seria legal conhecerem também.

Mas depois de ontem, preciso eternizar esse sentimento de alguma maneira.

 

Você conhece mesmo, Dnª Anna Modugno???

Eu pensava conhecer… 

Vou tentar passar esta experiência e também pedir o apoio de todos que gostam de nós e de nossos trabalhos para participar de um levante em nosso meio. 

O encontro marcado ontem, segue data do artigo, no atelier de Dnª Ana, foi na verdade uma visita recheada de bons momentos, conhecer pessoas que você apenas vê pela telinha do celular e por fotinhos no Facebook é simplesmente extraordinário. Saber que são mais que apenas nomes é muito bom, conhecemos pessoas de bem que ali estavam reunidas por apenas uma causa, ajudar esta mulher incrível a se reerguer. 

Obrigado meninas pela honra em conhecer vocês, esperamos novos encontros para novas aventuras, isto é o que desejamos Patricia Fernandes e Vinicios Jorge. 

Dnª Ana Modugno que vou chama-la aqui nesse texto apenas de Dnª Ana, é uma pessoa fantástica, aliás, além demais do que eu já sabia que era. Uma pessoa igual a nós e quando digo nós, sim nós todos, que levanta todos os dias e apenas quer fazer sua arte, ensinar e viver. Ah, ensinar! Os olhos dela aos seus perto 70 anos brilhavam sempre que nos contava sobre ensinar, acho que se ganhasse apenas pelo prazer que tem de ensinar estaria mais rica que qualquer um no mundo. Aquele olhar de uma criança que descobre o mundo, ainda vive nela, apesar de tudo a vida lhe tirou.

O dia foi maravilhoso, nos conhecemos, conversamos, abraços, sorrisos, lágrimas (muitas) e confidências, um dia mesmo memorável daqueles que mesmo com uma forte amnésia acho que não se apagará, vai ser mais difícil lembrar do meu nome do que esquecer o dia de ontem. Sofri um efeito ratatouille, sim voltei anos atrás quando conheci minha esposa, quando ela me apresentou um armário cheio de materiais guardados e me apresentou essa massinha que me fez me apaixonar não só pela mulher da minha vida como por esse material ingrato. Sim faz parte de nossa história desde o início, eu estava desempregado e me agarrei a todo aquele material para reverter em nossa renda e até hoje.

Dnª Ana é uma pessoa simples e de imenso coração, daquele tipo que não vê maldade em ninguém e com um prazer tão grande em ensinar, passar seu conhecimento de uma arte incrível. “Cá entre nós”, tinham uns cactos em um armário e eu estava tentando entender porque ficavam ali naquele armário com vidros fechados, pensei comigo que tudo bem são cactos, não precisam de muito pra viver, né!

Mas depois de um tempo pra minha surpresa, eram de Biscuit, sim eram feitos por aquelas mãos abençoadas e de destreza única, soube porque me contaram, porque viria embora sem saber e ainda juro que acho que me “zuaram” e eles são sim de verdade.

Mas é assim, armários, prateleiras e mesas forradas de muitos trabalhos que vimos apenas em revistas, estavam ali bem pertinho ao alcance dos dedos e prontos para serem tocados e vistos de vários ângulos, como eram mesmo perfeitos, aquelas cestarias de Biscuit de sei lá, uns 10 anos atrás, todas perfeitas, não estavam distorcidas, tortas …… nada! Estavam em perfeito estado de como quando foram feitas, claro que o tempo judia, mas nada que qualquer outro objeto não sofreria e acho que muito mais até´. Ela abriu a sua casa, seu ateliê, para nos receber de todo coração.

A experiência única deste dia realmente vai ficar pre sempre.

Então gostaria de pedir a todos que lerem este artigo que façam uma reflexão.

Porque esta mulher esta no anonimato?

Porque tanto talento, experiência e vida, esta escondido hoje? 

Será por ela ter uma certa idade e nossa sociedade deixa de lado quem não pertence mais a modinha?

Será porque hoje os interesses são outros, a fama de ser alguém é mais importante mesmo que seja alguém vazio?

Então você que esta agora lendo faça uma reflexão e me diga nos comentários aqui no post mesmo. Será?

Eu penso que tudo isso pode e deve ser revertido e devemos ajudar quem é e sempre foi a maior incentivadora de gerações de dezenas de centenas de pessoas país a fora tirarem seu sustento dessa massinha, Dnª Ana merece mais que ficar reclusa ao seu ateliê ministrando apenas cursos como uma simples professora de Biscuit pois ela é a professora de gerações de professores que estão ai hoje. 

Então peço que todos passem a frente esse texto e convidem todos seus amigos, parentes e todos que conheça e que faz Biscuit a participar desse levante curtindo o Fã Clube Anna Modugno e colocando em suas postagem de trabalho a Hashtag  #Anamariabragaconvidaannamodugno para assim devolver um pouco a ela tudo que fez por nós por anos.

Nós, Raissa, Pri, Amanda, Patricia Bolsinha, Fernanda Rosa, Lu Gonçalves, Mada,

Bárbara Zurc, Poly, Maria Diniz, Faby e nossa master mega Dnª Anna Modugno

… obrigada a todas – obrigado Dnª Anna …

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Obrigado Dnª Ana Modugno por tudo desde sempre. 

Patricia Fernandes e Vinicios Jorge

Comentários